Web Rádio Show Francisco no 24 Horas no Ar

domingo, 31 de maio de 2015

CHEGANDO MAIS UM DESTAQUE SHOW !

18 DE JULHO, A PARTIR DAS 21 HORAS, COLÉGIO ESTADUAL SÃO FRANCISCO DE PAULA.

70 PERSONALIDADES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, SENDO DA CAPITAL, REGIÃO LITORÂNEA, SERRANA, NORTE E NOROESTE FLUMINENSE, SERÃO HOMENAGEADAS COM ESTE TÍTULO, POR SERVIÇOS PRESTADOS A SOCIEDADE!

UM EVENTO DIFERENTE TRADICIONAL QUE FAZ O BEM E VALORIZA O PROFISSIONAL E SUAS ATIVIDADES.

AGUARDEM!!!
A PROGRAMAÇÃO DO EVENTO.
ENTRE OS SETENTA HOMENAGEADOS, REGISTRAMOS COM CARINHO ESTA PERSONALIDADE QUE MERECE TODO O NOSSO RESPEITO.

UMA MULHER INTELIGENTE, EXTROVERTIDA E MUITO CARINHOSA COM A SUA EQUIPE DE TRABALHO. HONESTA E HABILIDOSA NAS SUAS FUNÇÕES.

PRÊMIO MERECIDO, PORQUE ELA AMA O QUE FAZ!

DESTAQUE SHOW 2015 PARA
"MANUELLE PESSANHA RANGEL".
PARABÉNS, FELICIDADES!

SE VOCÊ CONCORDA COMENTE EMAIL:ampasrj@hotmail.com











 







 



Patrocínio:














Juizado para proteger mulheres



Em função do alto número de crimes contra a mulher, o Tribunal de Justiça (TJ) instalará, em Campos, o Juizado de Violência Doméstica Itinerante. A inauguração acontece no próximo dia 12, às 10h, no Fórum Maria Tereza Gusmão de Andrade. A informação foi postada no blog Ponto de Vista, de Christiano Abreu Barbosa, hospedado na Folha Online. Mesmo com essa novidade, o TJ já pensa em instalar, no município, o Juizado, mas de maneira definitiva, de acordo com informações da assessoria do órgão.

Ainda segundo informação do blog, a solenidade de inauguração contará com a presença da ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia Antunes Rocha, e do presidente do TJ, o desembargador Luiz Fernando Ribeiro de Carvalho. A assessoria do Tribunal explicou que o Juizado vai circular por outros municípios, mas já existe um projeto do TJRJ de instalar um juizado especial de violência doméstica em definitivo na cidade. O foco será o atendimento a casos de violência doméstica e familiar contra a mulher.

Para a secretária-executiva do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim), Margarida Estela Mendes, a vinda do Juizado para Campos é uma vitória.

— É muito importante. Era um dos organismos que vínhamos há anos solicitando. É importante, também, que o município faça uma leitura para a necessidade de criar uma Casa de Passagem (para atendimento rápido) e do Centro Especializado de Atendimento à Mulher. O Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) é para atender a famílias e não somente à mulher — destacou.

Margarida ressalta o trabalho desenvolvido pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), inaugurada em Campos no ano passado pelo Governo do Estado. Mas lembra que é preciso um arcabouço, que é uma rede de atendimento eficiente: “A luta é grande. Estamos avançando, mas é preciso mais”, afirma.

Números são alarmantes sobre a violência

No último dia 10 de maio, a Folha da Manhã trouxe matéria detalhando o Dossiê Mulher 2015, divulgado no final de abril. O levantamento do Instituto de Segurança Pública (ISP), que analisa os números a partir das Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisp), mostrou que 62.543 mil mulheres sofreram algum tipo de violência física em 2014. A 8ª Aisp, da qual fazem parte Campos, São Francisco de Itabapoana, São João da Barra e São Fidélis, aparece em 4° lugar, quando o crime é homicídio: Em 2013, 24 mulheres foram assassinadas e em 2014, 25. Desses, 20 ocorreram em Campos, superado apenas por Rio (127), Duque de Caxias e Nova Iguaçu (36, cada) e São Gonçalo (29). Já em tentativa de homicídios, a 8ª Aisp está em 2° lugar: 55 em 2013 e 61 em 2014, sendo 49 em Campos, que fica atrás apenas da capital: 234.

Na ocasião, a delegada Ana Paula Carvalho disse que o principal fator que, muitas vezes, impede que as mulheres denunciem, não é o medo e sim a dependência emocional e financeira. Mas destaca que a presença da Delegacia da Mulher e s Lei Maria da Penha e a Lei do Feminicídio, são importantes para conter a violência.

S.M.
Foto: Rodrigo Silveira/Show Francisco



Empresa oferece 200 vagas em estágio

Uma boa oportunidade para estudantes dos cursos de Administração, Engenharia e Economia, com conclusão prevista entre julho deste ano e dezembro de 2016. A Accenture, empresa global de consultoria de gestão, tecnologia da informação e outsourcing está com 200 vagas para estágio no Rio de Janeiro e São Paulo.

Entre os benefícios oferecidos estão: seguro de vida, vale-refeição, vale-transporte, assistência médica e odontológica. É preciso ter disponibilidade para estágio de quatro ou seis horas, Inglês com nível avançado; conhecimento do pacote Office, boa redação, bom raciocínio lógico, além de capacidade para identificar e solucionar problemas. As inscrições devem ser feitas no endereço eletrônico www.accenture.com.br/carreiras, nas vagas de número 00266419 (Estágio Consultoria RJ) e 00266410 (Estágio Consultoria SP).
O Diário NF/Show Francisco



Seis mil empregos no Porto do Açu

Phillipe Moacyr

Porto do Açu tem como vocações o minério de ferro, petróleo e apoio ao setor offshore

Keylla Thederich

Desde o lançamento da pedra fundamental do Complexo Industrial do Porto do Açu, no município de São João da Barra (SJB), em 2007, oito anos se passaram. Durante esse tempo, o empreendimento passou por muitas mudanças e até incertezas. Hoje, seis mil pessoas trabalham no empreendimento, que possui além da Prumo Logística Global, atual responsável pela administração, mais 11 empresas que têm contrato, cinco delas efetivamente operando.

A principal dificuldade ocorreu com a derrocada do seu principal idealizador e acionista, o empresário Eike Batista, no ano passado. Mudanças ocorreram, desde a reformulação estrutural até o controle administrativo. As previsões eram ruins diante da crise, mas a nova administração trouxe boas perspectivas. Até o final deste ano, duas importantes operações devem ter início no complexo.

Com a saída das empresas "X", houve uma mudança vocacional no porto. O empreendimento, que antes tinha como principais vocações o minério de ferro e a instalação de duas siderúrgicas, tem hoje como principais atividades, além do minério, petróleo e apoio ao setor offshore. Com essa nova demanda, o projeto original precisou sofrer ajustes e novos negócios se tornaram possíveis.

Novas operações no Terminal 2

As novidades são que, no segundo semestre do ano, duas importantes operações estão previstas para serem iniciadas: o Terminal Multicargas (T-Mut) da Prumo e as operações da Edison Chouest em parceria com a Petrobras, ambos no Terminal 2. O T-Mult irá movimentar cargas como contêineres, rochas, veículos, petróleo, entre outros, de várias empresas. Com 500 metros de cais já prontos para operação, o TMULT possui atualmente dois berços, que poderão movimentar até quatro milhões de toneladas entre graneis sólidos e carga geral. Sua capacidade estática de armazenagem é superior a 100 mil toneladas de granéis sólidos e 20 mil toneladas de carga geral.

Já a americana Edison Chouest fechou parceria com a Petrobras para atuar como base de apoio logístico offshore e estaleiro de reparos navais para suas próprias embarcações que atuam na Bacia de Campos. Essa é a segunda expansão da empresa no porto, cujo montante de investimentos previstos é de R$ 950 milhões. Com o início das operações para novembro deste ano, a estimativa é que sejam gerados 900 empregos na base.

Outras operações também estão previstas para ter início no segundo semestre de 2015 e início do ano que vem, que são: movimentação de container, instalação de usina termoelétrica, polo de reparo naval, transbordo de petróleo, distribuição de gás, entre outras.

Tamanho é documento

Com uma área total de 130 km², sendo 90 km² do empreendimento com o Terminal 1 (T1 - offshore) e o Terminal 2 (T2 - onshore), e 40 km² de área de reserva natural, o complexo conta com 17 km de píeres. O T1 é dedicado à movimentação de minério de ferro e petróleo e teve sua primeira operação outubro de 2014, já tendo recebido 20 navios.

Já o T2 está instalado no entorno de um canal para navegação, que conta com 6,5 km de extensão, 300 metros de largura e profundidade de, pelo menos, 10 metros em toda a sua extensão, chegando a 14,5 metros na sua maior profundidade. O T2 irá movimentar carga de projetos, contêineres, rochas, bauxita, grãos agrícolas, veículos, granéis líquidos e sólidos, carga geral e petróleo, através das empresas já instaladas e que têm contratos. Ainda no T2, tem a área da OSX, cujas primeiras instalações foram feitas e paralisadas em função do pedido de recuperação judicial. Os dois terminais juntos ocupam 10% da área.

Além disso, o porto ainda conta com uma extensa área a ser ocupada, que é chamada de retroárea, onde serão instalados um hotel, um centro de conveniência e outras empresas. As possibilidades de ocupação da área são enormes e por isso, vários negócios estão sendo discutidos. Com a ocupação e efetiva operacionalização, o Porto do Açu, que é considerado estratégico pela sua localização, possui área e vocação para ser o maior da América Latina.
O DiárioNF/Show Francisco